Já te mostramos aqui quais estratégias podem te ajudar a vender mais em 2018 e agora é hora de saber o que vai mudar para o e-commerce brasileiro neste ano. É preciso ficar atento com algumas modificações definitivas e outras ainda em estudo que podem afetar diretamente os lojistas virtuais no país.Fique por dentro das principais mudanças que acontecerão ou estão em pauta para este ano e como elas podem impactar o seu negócio.

Refis do Simples Nacional: vetado por Temer

A expectativa era de aprovação, mas, de acordo com publicação do Diário Oficial no dia 8 de janeiro de 2018, o presidente Michel Temer vetou o projeto de lei. Aprovado pelo Senado em 2017, o Refis do Simples Nacional visava regularizar os débitos tributários de Micro e Pequenas empresas.

De acordo com o ministério da Fazenda, porém, o Refis acarretaria numa perda de R$7,8 bilhões de aos cofres públicos pelos próximos quinze anos. A justificativa é que a medida fere a Lei de Responsabilidade Fiscal ao não prever a origem dos recursos que cobririam os descontos aplicados. Temer pedirá novos estudos do impacto econômico à pasta para poder reformular o texto e, quem sabe, aprová-lo.

Fim dos boletos bancários sem registro

O projeto da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) que torna obrigatório o uso de boletos com registro finalmente entrará em vigor neste ano. A proposta visa oferecer mais segurança à operação, já que todos os boletos precisarão de registro no sistema da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP).

O fim do boleto sem registro (que não precisa aparecer sistema do banco ou mesmo divulgar o seu valor, data de vencimento ou a pessoa que pagará) impactará diretamente no e-commerce brasileiro, uma vez que representava cerca de 40% do total de boletos emitidos em 2016.

A solução de registro online traz mais agilidade e segurança, reduz as fraudes e traz mais transparência ao sistema bancário. A migração total para o boleto com registro online é obrigatória e a priorização da mudança será feita com base em faixas de valores dos boletos, iniciando por aqueles mais altos.

Mudanças no SAC

Ainda está em fase inicial, mas a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) formulou uma proposta com novas regras para o setor de Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC). As principais mudanças são a priorização da solução dos problemas do cliente na primeira ligação, um limite máximo do tempo de atendimento e a utilização de novas tecnologias, especialmente inteligência artificial nos atendimentos.

Além disso, o atendente do SAC passaria a ser obrigado a realizar o call back em ligações interrompidas involuntariamente e garantia de acesso às gravações das conversas entre consumidores e os SACs. A proposta ainda será encaminhada para à Casa Civil e, se aprovada pela presidência, publicada.

Black Friday continua em novembro

A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) propôs a antecipação da Black Friday para o mês de setembro em 2018. A justificativa para a mudança era a proximidade entre o evento e o Natal, o que não impactaria tanto para os lojistas do mundo físico, além de setembro ser um mês de menor de movimento para o e-commerce.

O presidente da entidade, Nabil Sahyoun, de acordo com o E-Commerce Brasil, afirmou que as principais lojas, especialmente de e-commerce, não aceitaram a mudança e, portanto, a Black Friday continuará no mês de novembro.

A nova regulamentação do BACEN para os marketplaces

As instituições financeiras têm até o dia 28 de setembro deste ano para se adequarem à CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos). A nova regra se aplica para todos os participantes dos arranjos de pagamento que repassam fluxos para terceiros, como adquirentes e facilitadores, que, agora, também abrange os marketplaces.

Com essas mudanças, o Banco Central (BACEN) espera garantir maior transparência aos processos de pagamento, fazendo com que todos os repasses sejam realizados e evitando o risco sistêmico, aquele que oferece grande perigo de colapso ao mercado financeiro. Outras mudanças também afetam os marketplaces.

Nota fiscal e declaração de conteúdo obrigatórios nos Correios

Desde o dia 2 de janeiro deste ano, se tornou obrigatório expor do lado de fora da embalagem a nota fiscal ou declaração de conteúdo. A partir de agora, nenhuma postagem de encomenda nos Correios, mesmo uma pessoa física que vende pela internet, será aceita sem algum dos dois documentos. Para tirar mais dúvidas, confira no próprio site dos Correios.

Aprenda a ganhar mais com seu E-commerce

Confira dicas, reportagens e conteúdos especiais de especialistas em E-commerce e Marketing Digital. Digite seu email abaixo:

Gabriel Camargo
Graduado em Comunicação Social pela PUC-Rio, atua como analista de marketing no Pagar.me.
O que Fazer para Faturar R$200 mil por Mês com seu E-commerce