Fundada em 2003, em Belo Horizonte (MG), a Constance Calçados se consolidou no mercado e virou referência pelo conceito de self shoes em suas lojas físicas. Nesse modelo, a cliente tem acesso a todos os sapatos e tamanhos disponíveis, precisando apenas escolher o produto e efetuar o pagamento. Hoje são mais de 85 lojas espalhadas por onze estados brasileiros.

Especializada em calçados femininos, a Constance se expandiu territorialmente e isso reflete nos números da empresa. Em 2016 o faturamento chegou aos R$ 147 milhões, enquanto no ano passado atingiu a marca dos R$ 180 milhões, um crescimento de 22%. Com apenas três anos, o e-commerce da marca já representa 5% do faturamento total.

Aumentar a participação da loja virtual é um dos principais desafios de Marcelo Linhares, 33 anos, gerente de e-commerce da Constance. A ideia é fortalecer a loja online sem que isso impacte negativamente nas vendas do mundo físico e gere atritos com franqueados, um dos pilares do modelo de negócio.

“Queremos ter a comodidade do digital, mas sem perder o face-to-face da loja física. A compra por urgência, a experiência do touch, de escolher o produto, não podemos perder isso, queremos caminhar juntos. Não negligenciamos a criação de lojas físicas e nem deixamos de investir em e-commerce”, afirma Marcelo.

Ele ainda completa que os franqueados entendem a importância das ações online - como e-mail marketing ou campanhas no Facebook, por exemplo - e o impacto positivo delas no mundo físico. Algumas clientes já entram na loja com a decisão tomada: com um print na tela do celular, vão à loja por questão de conveniência e para escolher o tamanho certo.

1H1A0851 (02)-1.jpg

A decisão de migrar para o Pagar.me

Cliente Pagar.me desde março de 2017, a Constance buscou um novo parceiro quando, segundo Marcelo, o modelo de negócio não tinha mais para onde crescer. Com uma demanda muito específica, encontrou no Pagar.me a solução.

De acordo com Marcelo, o que o fez decidir fechar negócio foi a franqueza que o time do Pagar.me teve desde as primeiras conversas. “Foi uma conversa muito franca, tudo que foi prometido, foi entregue. O que não poderia ser feito, não prometeram”, conta.

“O produto foi montado à nossa maneira. Não é uma solução comum no mercado e não vejo outra empresa fazendo isso sem ser o Pagar.me”.

Split de Pagamento: mais controle para franqueados

Uma das estratégias adotadas pela Constance foi criar um modelo de marketplace com os franqueados da rede. Qualquer compra realizada no e-commerce é redirecionada para a loja física mais próxima do endereço de entrega. Um modelo que agradava os franqueados, porém, não era simples de ser administrado sem uma ferramenta adequada.

Uma compra de R$ 1.000,00, por exemplo, poderia ser dividida em cinco CNPJs diferentes. A divisão da quantia para cada um dos franqueados era feito de forma manual antes do Pagar.me. Através do Split de Pagamento, a Constance conseguiu oferecer mais segurança e controle para as partes envolvidas no negócio.

“Hoje o franqueado tem uma segurança para vender online que não tinha anteriormente. Não existia conciliação e acompanhamento, hoje ele tem um controle maior. Agora nós oferecemos mais segurança e transparência para o franqueado. Ele sabe tudo o que vai vender e receber”, garante Marcelo.

Recuperação de chargeback e aumento de conversão

Outro problema enfrentado pela Constance antes da parceria com o Pagar.me era um dos mais temidos pelos e-commerces: o chargeback. De acordo com Marcelo, o mercado funciona com a lógica de que o risco de quem trabalha com e-commerce é puramente do lojista.

Ele explica que, antes de utilizar o Pagar.me, nunca havia recuperado um chargeback na antiga adquirente. Em menos de um ano, no entanto, o saldo recuperado é de mais de R$ 5 mil.

“Uma vez a própria equipe do Pagar.me fez a investigação e foi atrás de evidências que ajudassem a recuperar o dinheiro. Sem que eu pedisse. O ganho é intangível nessa situação, porque chargeback afeta a sua moral, deixa a sua moral abalada”.

Outro número interessante após a parceria com o Pagar.me é a taxa de conversão. Comparando o mesmo período de 2016, com a solução anterior, e em 2017, com o Pagar.me, a Constance registrou um aumento de 9,3% na conversão de um ano para o outro.

As metas da Constance para o futuro

Aos poucos, os executivos pensam em novas soluções para o negócio. Melhorar a experiência on to off é uma das metas. A Constance já começa a investir na interação dos seus diferentes canais de venda. Possibilitando, por exemplo, que as clientes comprem pela internet, retirem o produto na loja física e consigam trocar em qualquer unidade da rede.

“A questão principal disso é o pagamento. Se você não tiver uma plataforma para alinhar esses pensamentos, você não consegue colocar em prática”, finalizou Marcelo.

Para saber mais sobre os nossos produtos e soluções, entre em contato com o Pagar.me.

A Constance

Site: http://www.constance.com.br/

Tamanho: Médio porte

Segmento: Calçados

Soluções usadas: Split de Pagamento, Boleto e Checkout transparente

Aprenda a ganhar mais com seu E-commerce

Confira dicas, reportagens e conteúdos especiais de especialistas em E-commerce e Marketing Digital. Digite seu email abaixo:

Gabriel Camargo
Graduado em Comunicação Social pela PUC-Rio, atua como analista de marketing no Pagar.me.
O que Fazer para Faturar R$200 mil por Mês com seu E-commerce