O ano de 2017 fechou positivo para o e-commerce brasileiro, segundo dados da consultoria E-Bit, o faturamento do comércio eletrônico entre os dias 15 de novembro e 24 de dezembro registrou um aumento de 13% em relação ao mesmo período de 2016.

Só a Black Friday, evento correspondente às compras realizadas nos dias 23 e 24 de novembro, teve um crescimento de 10,3% em relação à sua edição anterior.

Para que a sua loja virtual continue acompanhando o crescimento do e-commerce este ano, separamos algumas tendências que devem se consolidar ainda mais no mercado em 2018:

1. Direcionamento do tráfego para a experiência mobile

Cada vez mais pessoas recorrem aos celulares para realizar suas compras, e isso não é exatamente uma novidade. Segundo dados de 2014 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os aparelhos celulares já ultrapassavam computadores como principal meio de acesso à internet no Brasil, e 80,4% das casas no país possuíam um telefone móvel para se conectar.

Não apenas isso: 67% dos brasileiros já utilizaram seus celulares para realizar compras pelo menos uma vez (Sociomantic). Ainda assim, de acordo com a Big Data Corp, apenas 24,2% dos e-commerces são responsivos para o mobile.

2. Uso de chatbots

De acordo com estimativa da Gartner, a tendência é que 85% dos atendimentos em 2020 sejam realizados através de mecanismos automáticos. O uso de chatbots, por exemplo, aliado ao poder da inteligência artificial, entrega ao cliente um atendimento instantâneo e cada vez mais personalizado.

Além disso, conforme o chatbot aprende mais sobre o comprador, também pode oferecer produtos que sejam compatíveis com o que ele esteja procurando.

3. Personalização

Ainda pegando o gancho da personalização, o e-commerce deve trabalhar cada vez mais com essa tendência, principalmente de duas formas. A primeira delas é permitindo que o cliente adapte algumas características do produto conforme seu gosto.

E a segunda é aumentando o investimento em mídia programática - assim, as lojas virtuais podem oferecer conteúdos publicitários individualizados e com alto nível de segmentação para seu target.

4. Marketing de influenciadores

Esse foi um assunto presente em muitos eventos voltados para o e-commerce em 2017. Com seu público específico, os influenciadores acabam sendo peças-chave na divulgação de conteúdo segmentado.

Os números provam que o marketing de influência segue o caminho da consolidação. Segundo o Think With Google, 6 em cada 10 usuários do Youtube seguiriam indicações de compra de influenciadores ao invés de celebridades de televisão, e 70% desses usuários afirmam que confiam mais nos influenciadores do que nas celebridades tradicionais.

5. Omnichannel e entrega no mesmo dia

A integração dos canais de compra do e-commerce, garantindo uma experiência fluida para o comprador, também tem que ser lembrada na hora de desenvolver as estratégias de marketing da sua loja virtual. Embora o seu cliente esteja sempre transitando entre diversos dispositivos e o mundo online/offline, ele quer ver a consistência da sua marca em todos os locais acessados.

Vale estudar também se a entrega no mesmo dia é uma necessidade entre o seu público e pode ser agregada ao seu projeto omnichannel. Em pesquisa realizada pela Forrester, 29% dos compradores afirmaram que pagariam a mais para receber seus produtos em casa no mesmo dia da compra.

E você, quais estratégias já adotou ou vai adotar para o seu e-commerce este ano?

Aprenda a ganhar mais com seu E-commerce

Confira dicas, reportagens e conteúdos especiais de especialistas em E-commerce e Marketing Digital. Digite seu email abaixo:

Karina Menezes
Graduada em jornalismo pela UFPA, foi trainee do jornal O Estado de S. Paulo. Atualmente, é Head de Conteúdo do Pagar.me.
O que Fazer para Faturar R$200 mil por Mês com seu E-commerce